] OBSESSÃO DE AMBITO FAMILIAR | ESPIRITISMO E ESPIRITUALIDADE
Jesus te Abençoe. Hoje é

22/01/2013

OBSESSÃO DE AMBITO FAMILIAR




"Os processos obsessivos de natureza anímica, ou seja, de pessoa para pessoa, ocorrem no âmbito familiar com uma frequência que, geralmente, não imaginamos.

Em alguns casos, carregado de uma energia deletéria em que a proporção dos conflitos interpessoais geram compromissos cármicos a serem assumidos pelos envolvidos, em uma nova oportunidade de acerto de contas com a energia do amor. 

Neste intrincado contexto no qual os individualismos ficam expostos pelas difíceis relações interfamiliares, geradoras de sentimentos negativos e desequilíbrios psíquico-espirituais, as sequelas da desarmonia deixam as suas sementes nos psiquismos dos mais jovens.

Sob a ótica da Psicoterapia Interdimensional, atribuímos à indiferença parental (mãe, pai), a vilã das desarmonias familiares, sendo os sentimentos de rejeição e de culpa as suas principais vítimas.

Neste sentido, o sentimento de rejeição de um filho indesejado -sejam os motivos que forem-, costuma gerar em seu inconsciente, o sentimento de culpa por ter nascido naquela família. Por este motivo, a rejeição e a culpa serão as indesejáveis companheiras na sua vida de adulto. Traumas que dão origem a desequilíbrios psíquicos como transtorno psico-afetivo, síndrome do pânico, depressão e fobias, entre outros.   

Sementes que germinam no futuro adulto: culpa, insegurança, dependência, ódio e medo. Frutos de uma colheita "maldita" de imprevisíveis consequências para os envolvidos em um processo obsessivo de difícil compreensão sem a intervenção psicoterapêutica que investigue a fundo as suas origens.

Portanto, basta a experiência da rejeição parental para gerar no indivíduo o sentimento de culpa, que, por sua vez, origina desequilíbrios na esfera afetiva do adulto, comprometendo, desta forma, seus relacionamentos íntimos, onde busca gratificações para minimizar o seu sofrimento sintonizado na infância. 

Os processos obsessivos, embora imperceptíveis para a maioria, são o resultado de conflitos interpessoais ou dependência afetiva que acabam por interferir na proposta original (pré-reencarnatória), que é a de criar condições para que exista um ambiente de amor e crescimento no convívio familiar.

Obsediados através de uma relação afetiva de mútua dependência ou de uma relação de conflitos cujas motivações giram em torno de energias deletérias como o ciúmes e a inveja, convivem muitos pais, filhos e irmãos sob o mesmo teto e sob o estigma da indiferença, da rejeição, da ira e da culpa.

Jovens traumatizados que se tornam adultos emocionalmente imaturos e dependentes de suas dificuldades em relacionarem-se consigo próprios, com o outrem e com o mundo que os amedronta.

Neste ciclo vicioso de complicados relacionamentos, o amor como aprendizado e prática, é o único "antídoto" contra o veneno da desarmonia geradora dos processos obsessivos que comprometem as relações inter-familiares  Sem o contra-veneno, as almas ficam expostas à imprevisibilidade dos acontecimentos que povoam a esfera da inconsciência humana e que despertam as sombras do pretérito que habitam em cada um de nós.

Expostos à perversidade dos acontecimentos e imunes à energia do amor, muitos grupos familiares sucumbem à própria inconsciência dos fatos não revelados à luz da consciência. Ambiente propício para que a energia da obsessão crie raízes e estabeleça o seu território e domínio sobre mentes e almas em desarmonia."

_________________________________________________________________________________
por Flávio Bastos
Flavio Bastos é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos: Terapia Regressiva Evolutiva, Psicoterapia Reencarnacionista, Terapia Floral, Psicoterapia Holística, Parapsicologia, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia.

Nenhum comentário:

}